Obras

Autêntica e ousada, sem perder a sensibilidade. É assim que defino JoyceXavier, se é que ela é capaz de ser definida pelo principal instrumento de seu maior talento: as palavras. 
É difícil definir alguém que consegue transmitir sentimentos e pensamentos para o papel a ponto de nos fazer sentir que somos os personagens dos seus textos. Assim, é inevitável não se identificar com o que ela escreve, já que seus textos são exatamente o equilíbrio entre uma acidez espontânea, que transborda sua sinceridade sem censura, e a delicadeza de uma notável e surpreendente doçura, que torna a sua arte ainda mais bonita e admirável!
A tal da Joyce Xavier é uma escritora que rabisca o que a alma vive... Ao lermos os seus escritos, sentimos não só a sua alma magnífica, mas, a nossa própria alma, devido às suas vivências e boas doses de verdade. Enfim, mergulhamos em suas reflexões, que se tornam nossas. O que ela escreve, muitas vezes, é o que o nosso coração sente e a nossa voz não encontrou palavras para expressar. Sou uma grande fã do seu trabalho e agradeço muito pela honra de acompanhar o seu incrível potencial, que tantas vezes me ajuda a encontrar as respostas das perguntas que a vida me faz. E, apesar do brilhantismo como escritora, sou ainda mais fã da essência de menina mulher, que não tem medo de dizer o que realmente pensa, que nunca hesita em ser o que realmente é. E é isso que os aguarda em “Brilho da minh’alma”. Por Beatriz Zanzini.




Joyce Xavier com sua sinceridade de cara lavada e alma limpa, sempre direta nas suas palavras, apresenta seu lado encantador sobre o amor. Intensa, toma os sentimentos em suas mãos e os narra para nosso deleite.“Encantos” fala de vida, de emoções, de coração que pulsa querendo se fazer ouvido. E nos encontramos em cada linha dessa prosa gostosa, como se fosse feita na varanda, no meio de conversas, sorrisos e desabafos. Com toda a verdade que ela carrega, Joyce Xavier nos mostra que ela é feita de amor e que cada um de nós tem um pouco dela.

Rachel Carvalho

Autora de Sobre Sentimentos e co-autora de Colorindo as Palavras – Nossas cores, flores e sabores.







Cada indivíduo é o resultado de uma grande mistura de ingredientes. Conquistas, decepções, paixões, amores etc. Todos esses ingredientes juntos formam seres únicos, que é cada um de nós. É sabido que o pintor utiliza as cores de sua paleta com o intuito de criar uma pintura capaz de eternizar um momento em cores. O escritor é como um pintor, temos a capacidade de olhar para dentro de nós mesmos, resgatarmos as cores que compõem a nossa alma e, assim, utilizamos ingredientes primários e fundamentais para criarmos textos. Transformando-nos em obras literárias, esvaindo-se, palavra por palavra, linha por linha.
Neste livro o leitor encontrará textos de autores que possuem como ingredientes primordiais as necessidades de transformarem suas dores em cores, colorindo as palavras com um pouco de si mesmos.

Rafael Laranjeiras Toscano.





Maria Luisa Fernandes, Malu, Maluí ou Maluca, formada em Ciências Contábeis e Psicologia, trabalha com a sua amiga de faculdade, Diana, em seu próprio escritório contábil. Com a vida economicamente bem, porém depressivamente louca, Malu ganha de presente, no dia seu aniversário de trinta anos, um diário – que o nomeia de Ginger - da debochada Carol Portinari, atual do seu ex, Marcelo.Protagonista de inúmeros relacionamentos fracassados pela traição, ela sofreu uma depressão quando terminou com Rafael, com um relacionamento intenso e forte e preferiu jogar fora todos os seus remédios e não ir mais para a terapia. Rendeu-se a embriaguez. Com as suas noites de bebedeiras ao lado de seu amigo Brit, ela sempre é salva por Dona Dalva em seu escritório. Os dias de ressaca são normais. Nos dias de solidão ela ouve Spice Girls. Sempre com um jeito de menina e apaixonada por sexo, Malu não quer crescer – “É um paraíso ser criança. É um inferno ser adulto – A mesma diz em um de seus dias melancólicos. Procura homens em redes sociais e aventura-se com Fernando, o motoboy da sua empresa e PH, o pipoqueiro do bairro, ambos relacionamentos são motivados por carência e tesão. 
Nos dias de TPM, ela sempre se desgasta com a sua amiga Antunieta, e no seu pior dia de porre reencontra seus amigos de longa data: Amanda, Rodrigo, Thiago e Arthur. Além de ir para uma rave e descrever todas as páginas deste diário com inúmeros palavrões. Sua essência é desbocada. 
Neste diário, você encontrará uma mulher que faz piada da sua própria desgraça. Você soltará gargalhadas com o jeito espontâneo e libertador de Malu e perceberá o quanto pode perder tempo sofrendo por alguém, se ao seu redor pode ter alguém que realmente te ama.










Neste livro, Joyce Xavier mostra suas raízes e faces. Existe nela uma menina que sonha com o amor correspondido e transbordante - daqueles que tiram o fôlego e fazem com que a alma voe no mais imenso do céu e a mulher, cheia de si, forte o suficiente para seguir pós temporais e falhas, para redimir-se dos próprios erros e consertar o que pareceria inconsertável para qualquer um. Feita de metamorfoses, ela apresenta todos os seus elementos de fogo e também sua dose de esperança e paz. Já esteve no maior abismo de si mesma e mesmo assim acredita que a vida pode sempre se tornar mais bonita e os novos sorrisos surgirão pelo caminho. Cada vez mais madura e pronta pela busca do conhecimento não só do seu espaço - mas também do outro - faz de toda leveza sua companhia. Explode como trovão quando querem roubar seus sonhos e mostra que a humildade consegue unir novamente todos os laços. Feita de recomeços, perdoa o seu passado e dá chance para o futuro. Dona de si e de todas suas escolhas, desnud desnuda sua alma para o leitor sem vergonha, sem pudor. Faz por amor. A si mesma, por gratidão pela vida." Vitor Ávila














Nenhum comentário:

Postar um comentário